DGS  otorrinolaringologia Dr. Décio Gomes de Souza
<Voltar para Apostilas <Voltar Home

C1-6)  RINITES ESPECÍFICAS

            a) Leishmaniose: a leishmaniose nasal é a cutâneo-mucosa, também chamada tegumentar americana, causada pelo protozoário leishmânia brasiliensis e transmitida por um flebótomo (mosquito palha ou birigui). As lesões nasais se enquadram nas secundárias e surgem geralmente 1 a 2 anos após as lesões cutâneas primárias que deixam cicatrizes hipocrômicas e atróficas.

 

Figura 5g - Leishmaniose

O diagnóstico laboratorial pode ser feito por visão direta do parasita em esfregaços ou biópsias da lesão e testes sorológicos (reação intradérmica de Montenegro ou por imunofluorescência direta). A forma clínica mais freqüente é a ulcerodestrutiva que se inicia geralmente no septo nasal cartilaginoso e vai progredindo para as regiões vizinhas. O tratamento é feito com sais de antimônio ou anfotericina

            b) Blastomicose sul-americana: é causada pelo fungo paracoccidioides brasiliensis que causa uma primo-infecção pulmonar por aspiração e apresenta formas clínicas viscerais e tegumentares. A rinite não é freqüente e é sempre secundária a lesões da pele ou orofaringe.

            d) Outras: hanseníase, sífilis, tuberculose, rinoscleroma.

Voltar ao topo

<Voltar para Apostilas <Voltar Home