DGS  otorrinolaringologia Dr. Décio Gomes de Souza
<Voltar para Apostilas <Voltar Home

A1) OSSO TEMPORAL – Fig. 1

                        É um dos ossos do crânio, de localização lateral, estando relacionado internamente com as fossas cerebrais média e posterior. Apresenta externamente um conduto chamado de meato acústico externo ósseo e internamente um meato acústico interno por onde passam os nervos vestíbulo-coclear e facial. Apresenta 5 porções unidas entre si pelas respectivas suturas:

            a) porção escamosa : é a região acima do pavilhão auricular, sendo o limite lateral da fossa cerebral média.

            b) porção petrosa : é o corpo interno do osso temporal, onde estão as orelhas média e interna. Forma o assoalho da fossa cerebral média e se relaciona posteriormente com a fossa posterior, onde se abre omeato acústico interno.

            c) porção timpânica : forma o limite anterior do meato acústico externo ósseo, fazendo relação anteriormente com a articulação têmporo-mandibular

            d) porção mastóidea : é a região posterior ao pavilhão auricular, formando a parede posterior do meato acústico externo ósseo. Apresenta no seu interior cavidades aeradas chamadas células da mastóideque se comunicam com a orelha média através do adito do antro. O antro da mastóide é uma das células maiores e de presença constante em mastóides normalmente aeradas.

            Alguns pontos de referência anatômicos na superfície externa são importantes durante cirurgias da mastóide:

            - Linha temporal : superior, da inserção póstero-inferior do músculo temporal até a raiz do zigoma. Indica o assoalho da fossa média.

            - Espinha suprameatal de Henle : protuberância óssea póstero-superior do MAE

            - Triângulo de MacEwen (área cribiforme): depressão póstero-superior à espinha de Henle – corresponde à projeção do antro na superfície mastóidea.

            - Ponta da mastóide : limite inferior do broqueamento da mastóide.

             e) processo estilóide

  

Figura 1 – Osso temporal

Voltar ao topo

<Voltar para Apostilas <Voltar Home